Máquina de cartão: não há desculpas para não mais utilizá-las

As principais objeções apresentadas pelos comerciantes, negocientes e prestadores de serviços para não utilizarem máquina de cartão e receberem pagamento por elas são:

  • Dificuldade de conseguir uma máquina de cartão;
  • Altas taxas cobradas pelas empresas;
  • Demora em receber o pagamento;
  • Não possuir conta corrente ou de poupança para receber os valores das vendas.

Vamos ver que nenhuma delas se sustenta após refletirmos um pouco:

Dificuldade de conseguir uma máquina de cartão

Essa já foi uma verdade na época que o mercado era concentrado em duas empresas, a Visanet e a Redecard. Além de cada empresa trabalhar com uma bandeira (a primeira somente com Visa e a segunda somente com Mastercard) era preciso ser pessoa jurídica, ter um mínimo de faturamento mensal e pagar um aluguel (mensalidade) bem alto pela máquina. Isso sem contar com as taxas que eram bem salgadas.

No entanto, em 2010 o Banco Central do Brasil acabou com essa concentração de mercado e surgiu uma grande quantidade de empresas oferecendo máquinas de cartão (em 2018 há mais de 50 empresas dessas).

A mais conhecida dessas novas empresas foi a UOL PagSeguro que, devido a uma brilhante campanha de marketing, acabou tornando sua marca “moderninha” como nome de todas as máquinas que eram vendidas e não pagam aluguel.

Tanta concorrência barateou o custo das máquinas e das taxas cobradas e permitiu que qualquer pessoa, física ou jurídica, passasse a poder comprar uma e não pagar mensalidade por ela.

Hoje até mesmo uma pessoa física sem negócio registrado pode passar a aceitar cartão comprando uma maquininha de R$ 68,80 (que podem ser parcelados em 12 vezes sem juros no cartão de crédito) e pagar taxas de apenas 2,39% para débito e 4,74% para crédito e receber o dinheiro na hora.

foto da máquina Point Mini do Mercado pago

A máquina de cartão Point Mini do Mercado Pago saiu-se bem no comparativo com outras máquinas a pagar um alto valor líquido nas vendas a débito e crédito em 1 vez

Altas taxas cobradas pelas empresas

Essa também já foi uma realidade mas desde a quebra da concentração pelo Banco Central em 2010 e o surgimento de nada menos do que 50 empresas que oferecem máquinas de cartão, as taxas cobradas na venda a débito, crédito em uma vez e crédito parcelado caíram muito.

Para ter uma ideia, veja nosso artigo Qual a melhor máquina de cartão conforme as taxas cobradas.

 

Demora em receber o pagamento

Antigamente as empresas repassavam o valor para o negociante 30 dias após a venda e caso ele precisasse antecipar, tinha que pagar uma taxa bem alta para isso.

Hoje, com a concorrência a realidade é diferente: há empresas que disponibilizam o dinheiro na hora (Point Mini) e em um ou dois dia úteis (SumUp, Izettle e PagSeguro) sem cobrarem taxas absurdas para isso.

Confira isso em nosso artigo Qual a melhor máquina de cartão conforme as taxas cobradas o prazo para receber das empresas.

 

Não possuir conta corrente ou de poupança para receber os valores das vendas

Muitos comerciantes, negociantes e prestadores de serviço são pessoas humildes e o sistema bancário para eles parece ser muito complicado. E para piorar toda hora cobra taxas que eles não conseguem entender.

Para evitar isso, muitos desses comerciantes, negociantes e prestadores de serviço acabam não tendo conta corrente e nem de poupança.

Para eles, antigamente, seria impossível ter uma máquina de cartão e receber pagamentos por cartão de crédito e débito.

Felizmente hoje isso já não é mais realidade. Tanto o Mercado pago quanto a PagSeguro lançaram um cartão pré-pago, sem anuidade nem tarifa de manutenção. Para utilizá-lo não é necessário ter conta bancária também.

Recebeu dinheiro de venda através de cartão de crédito e débito? Então ele já está disponível para ser sacado ou pagar contas através desse cartão.

 

Enfim, não há motivos válidos para comerciantes, negociantes e prestadores de serviço deixarem de ter uma máquina de cartão e passaram a receber pagamentos com cartão de crédito e débito.  Na verdade, há muitas razões para utilizar máquina de cartão para vender mais!

Salvo se eles não gostarem de dinheiro….

Veja também esses artigos relacionados

  • Máquina de cartão: como escolher a melhorMáquina de cartão: como escolher a melhor O uso de cartão de crédito já tem algumas décadas, mas só há poucos anos tornou-se acessível para o pequeno comerciante, vendedor ou prestador de serviços aceitar cartões de crédito e […]
  • Taxas da moderninha PagSeguro x Point Mini do Mercado PagoTaxas da moderninha PagSeguro x Point Mini do Mercado Pago Graças a uma campanha de marketing muito bem feita, o PagSeguro conseguiu disseminar a máquina Moderninha pelo Brasil. Hoje quando se pensa em máquina comprada e que não paga aluguel quase […]
  • Qual a melhor máquina de cartão conforme o usoQual a melhor máquina de cartão conforme o uso Hoje são tantos os modelos de máquina de cartão bem como as empresas que vendem ou aluguem - em 2018 há mais de 50 delas - que torna-se difícil escolher qual a melhor máquina. Para tomar a […]
  • Chargeback ou estorno: como prevenir e evitarChargeback ou estorno: como prevenir e evitar Torça para que não aconteça com você mas há uma grande probabilidade que ao aumentar o número de vendas com sua máquina de cartão você sofra o chamado “chargeback” ou estorno , que nada […]
  • Como repassar a taxa do cartão para o consumidor dentro da leiComo repassar a taxa do cartão para o consumidor dentro da lei Um das grandes preocupações de quem usa máquina de cartão é com as taxas que são cobradas a cada transação. Embora as taxas venham caindo (hoje a Point Mini cobra apenas 2,29% na venda a […]
  • Quem pode ter máquina de cartãoQuem pode ter máquina de cartão Se você pensa que receber pagamentos por meio de cartão de crédito é débito é possível apenas para empresas grandes, está muito enganado. E pior: pode estar deixando de vender até 50% a […]